20 de ago de 2008

O Prazer Do Vazio

Folhas em branco causam sempre o mesmo efeito em mim.

Aquele velho e familiar sentimento de infinitas possibilidades. Como se fosse a chance de começar algo do zero, um recomeço.

Em sua frente não tenho passado, não tenho futuro. Tudo que tenho é aquele momento. Aquela chance de criar. Criar personagens, criar histórias, contar mentiras, contar verdades.

Com ela ao meu lado posso trocar uma idéia com Raskolnikov, posso paquerar com, ai ai, Audrey Hepburn, posso fazer um dueto com Johnny Cash.

Na sua imensidão pálida dou um mergulho no parque de diversões que costuma ser minha cabeça.

Posso colocar pra fora os meus sentimentos, angústias.

Posso ser criativo. Posso ser brega.

Você deve estar pensando: "Mas que exagero. Não passa de uma folha em branco!"
Então pergunto: quem nunca teve vontade de ter outra chance?

Na frente da minha amiga vazia sou quem quiser ser.

E não precisa ser uma folha especial, não. Pode ser uma dessas comuns, do Word mesmo.
Afinal de contas, nada se compara com a oportunidade de um restart.

Sou mesmo um privilegiado por toda manhã ter um encontro com uma folha em branco.




17 de ago de 2008

Eu não resisto

Quando eu tava pensando em colocar esse blog no ar, fiquei em dúvida sobre uma coisa: falo ou não sobre publicidade?
Blogs sobre publicidade existem vários. Um melhor que o outro. Então achei que essa categoria já estava bem representada (o Brainstorm9 do Merigo é um bom exemplo). Mas, navegando pelo BlueBus, achei esse pôster da Mc Donald's feito por um fã e não resisti.



Tudo bem, isso pode não se encaixar como publicidade. Mas me fez pensar em 3 coisas.


1)
A publicidade está transformada. Aquele consumidor que ficava sentado no sofá mergulhando Oreos no leite já era (o Oreo com leite continua firme e forte, claro.) Com a evolução da tecnologia, o consumidor agora tem o poder de escolher se vai ou não ser atingido pela publicidade.

E qual a solução para isso?

Entretenimento.

Criar uma relação emocional com o consumidor é fundamental para o sucesso de qualquer campanha.
Voltando ao Ronald/Coringa, se isso realmente fosse uma campanha da Mc Donald's, seria muito interessante por tudo isso que eu já falei lá em cima.

A espetacular atuação de Heath Ledger somada a sua morte prematura já deixaria a campanha mais interessante.

Agora imagine se a Mc Donald's fizesse um Mc Lanche Feliz com o bonequinho do Coringa? Será que ia fazer sucesso?


2)
A paixão pela marca.

Com certeza o sonho de toda empresa é fazer com que seu consumidor seja apaixonado por ela. E esse pôster pode ter sido fruto da paixão da paixão de um fã de Batman que também adora a rede de fast-food.

3)
Esse pôster pode, é claro, ser uma piada de mal gosto com a Mc Donald's. Afinal de contas, juntar um vilão carniceiro e psicopata com o "simpático" personagem infantil pode não pegar muito bem.